Paul McCartney em São Paulo: yes, we are amazed with you!

outubro 17th, 20170 Comments »Última Atualização: outubro 26, 2017

Cobertura – Direto do Allianz Parque (SP)

Por: Murilo Pappini Couto (Colaborador RR)
Edição: Di Centurione e Lisiane de Assis
Fotos: Marcelo Rossi (Divulgação)

É impressionante a capacidade que alguns artistas têm de comover seu público. Você nota em diversos shows como todo mundo consegue se divertir, independente do local, como está o clima ou se é terça-feira ou sábado. Sir James Paul McCartney é um dos que melhor se encaixa neste seleto grupo de cantores.

Este foi o terceiro show que acompanhei do Beatle: em 2013 fui até Belo Horizonte e no ano seguinte o acompanhei aqui em São Paulo, no primeiro show internacional do Allianz Parque. Por mais que os setlists sejam parecidos (acho que no máximo 10 músicas diferentes entre cada um deles), cada espetáculo foi surpreendente por suas singularidades.

Bem, neste do dia 17 de outubro, Paul iniciou com “A Hard Day’s Night”, sucesso dos Beatles que foi nome do quarto álbum e primeiro filme da banda. A sequência de abertura ainda contou com “Junior’s Farm”, do Wings, e “Can’t Buy Me Love”, outro clássico do grupo de Liverpool.

Paul continua com sua educação e dedicação ao público. Se esforça para falar palavras em português e introduz gírias locais em suas conversas. “Oi Sampa!” e “Da hora?!” marcaram bem como o gentleman gosta de brincar e fazer o público literalmente se sentir em casa.

Após mais algumas músicas bem agitadas e reconhecidas pelo público, Paul deixou seu posto do centro do palco e se dirigiu ao piano para uma sequência espetacular. “My Valentine” foi dedicada à sua esposa Nancy Shevell, que estava na plateia. “E Nancy está aqui hoje! Esta é para você, baby” arrancou um “ah meu Deus, que fofinho!” da minha namorada – que virou fã de carteirinha do Macca neste domingo. Logo após, Paul engata a dançante “1985”, dedicada aos fãs do Wings. E depois disso, sua primeira esposa Linda é lembrada com a doce, meiga e fantástica “Maybe I’m Amazed”, seu primeiro sucesso pós-Beatles.

Falando um pouco de novidades, Paul introduziu no set da turnê “One On One” a primeira música que gravou com John Lennon e George Harrison, “Inspite Of All the Danger”, que ainda contava com os créditos à banda escolar Quarrymen. Depois, trouxe a primeira gravação dos Beatles, “Love Me Do”, em homenagem ao produtor da banda George Martin, falecido no ano passado.

A plataforma que eleva Macca aos céus ainda está presente, e nela ele canta o hino “Blackbird” e depois dedica “Here Today” ao seu “querido amigo John”. “Queenie Eye” e “New” são as músicas que o baixista trouxe de são as músicas que o baixista trouxe de seu “álbum mais rrre – wait a minute – xente” (enfatizando a pronúncia difícil do “R”, mostrando que aprendeu). Passando por alguns clássicos e ainda a sua última música gravada pela cantora Rihanna – “Four Five Seconds” – o show chega a um de seus melhores momentos, com a homenagem ao guitarrista George Harrison com “Something”.

Paul convidou o público a cantar junto com ele “Ob-la-di, Ob-la-da” e não se decepcionou. “Band On the Run”, “A Day In the Life” e “Back In the USSR” mantiveram o público quente para a sequência final ao piano: “Let It Be”, com a fantástica participação da plateia que iluminou o estádio com seus celulares; “Live And Let It Die”, que é um show à parte com toda a pirotecnia; e “Hey Jude”, que faz o estádio todo cantar em uníssono o refrão mais famoso da história.

Voltando do bis, Macca trouxe três bandeiras ao palco: a do Brasil, do Reino Unido e da causa LGBT. Entoou depois seu maior sucesso, “Yesterday”. Depois ainda teve “Helter Skelter”, pra dar um último gás ao público. E finalizou a noite com o medley “Golden Slumbers/Carry That Weight/The End”.

Ao final, Paul encerrou com “até a próxima vez”. Será minha quarta vez acompanhando o velho Beatle. E ainda me surpreenderei.

Pontos negativos

O Allianz definitivamente se tornou a casa oficial de grandes shows internacionais em São Paulo. Entretanto, o som parecia baixo para quem estava na pista. Além disso, houve pouca sinalização para quem queria pegar pulseira de maior de idade, para poder comprar bebidas alcóolicas, e algumas pessoas reclamaram de longas filas. De resto, impecável!

« Paul McCartney retorna para mais uma catarse em Porto Alegre
Lollapalooza Brasil 2018: veja as atrações escaladas para cada dia do festival »

Categorias

Coberturas Shows & Eventos

Tags

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio