Republique du Salem: qualidade e rock’n'roll resumem o novo álbum

agosto 25th, 20150 Comments »Última Atualização: agosto 25, 2015

Resenha – Republique du Salem: Republique du Salem (2015)

Opinião de Ihanna Barbosa (Colaboradora RR)
Edição: Di Centurione

Depois de dois anos, a banda paulistana Republique du Salem lança seu segundo álbum da carreira, com novos rumos e sonoridade mais madura. O CD, que leva o mesmo nome do grupo, foi gravado inteiramente nos Estados Unidos e contou com a produção e participação de Marc Ford (The Black Crowes). Além disso, Davi Stracci (vocal) e Guido Lopes (guitarra), optaram por compor todas as canções na língua inglesa, seguindo uma sugestão do próprio Marc.

O primeiro trabalho da Republique du Salem, O Fim da Linha Não é o Bastante, foi lançado em 2013 e muito bem recebido pelo público, o que marcou um bom começo para a banda. Durante as 6 canções do disco, a voz de Davi e a guitarra pesada de Guido apresentam um hard rock rock clássico com elementos do rock moderno, deixando a marca registrada da Republique.

Mas ao lançar o CD Republique du Salem, o grupo mais que deu continuidade a carreira, apresentou uma evolução e deixou mais claro as suas influências e o som que quer passar. Já na primeira canção, “Take The Risk”, é possível ouvir um rock’n'roll de muita qualidade com bons riffs e um viajante solo de guitarra, característica que segue pelo álbum nas canções como “What You’re Like”, “Down the Narror Road” e “Path of Cain”, que ainda traz um tom de psicodelia e influência country, uma das melhores faixas do disco.

A língua portuguesa ainda tem um espaço especial no CD na música “Latino”, que fala da relação entre brasileiros e estrangeiros. A canção traz ainda trechos em espanhol, uma percussão bem latina e até umas pinceladas de samba. Nae Silva foi o responsável pela bateria e a percussão do álbum. O músico já acompanha a banda em turnês desde 2014, e agora registrou um bom trabalho no segundo disco da carreira da Republique.

O álbum Republique du Salem mostra também belas canções para relaxar. Muito bem situadas no meio do CD, a faixa instrumental “Interlude (unspoken words)”, seguida por “Closer” é o momento de respiro do trabalho em meio às guitarras barulhentas. Outro destaque é a intensa “Drink Your Wine”, uma combinação precisa entre um som moderno e o bom e velho rock setentista. A música evidência o trabalho de qualidade na produção do disco, a cargo de Marc Ford.

“Go Ye And Preach My Gospel” é o primeiro single e encerra o CD. A faixa cover é uma homenagem ao gaitista Rev. Dan Smith. gravada originalmente em 1972. Quando a Republique lançou o clipe desta canção, o guitarrista Guido Lopes comentou do clima de “igreja” na gravação, que é bem perceptível no áudio que traz o melhor da música gospel americana.

A evolução musical do grupo é notável no novo álbum, muito pelo trabalho de Marc Ford, mas também pela qualidade dos músicos Davi e Guido. Republique du Salem é um ótimo disco para quem ainda não conhece a banda, e uma boa surpresa pra quem os acompanha desde O Fim da Linha Não é o Bastante.

Nota: 9,0

Tracklist:

1. Take the Risk (4:54)
2. I will wait for You (blues for Nina) (3:58)
3. Path of Cain (5:12)
4. What You’re Like (4:16)
5. Interlude (unspoken words) (2:59)
6. Closer (5:32)
7. Down the Narrow Road (2:49)
8. Drink your Wine (5:45)
9. Latindo (3:20)
10. Into the Silence (7:43)
11. Go Ye and Preach my Gospel (Feat. Marc Ford) (3:59)

Adquira o CD: Clique aqui!

Ouça:

« Dica de Livro: The Beatles
Fotos exclusivas do show do Tokio Hotel em São Paulo »

Categorias

Músicas e Vídeos Novo Álbum Resenhas

Tags

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio