Reduto de Bandas: Stoneria

janeiro 31st, 20150 Comments »Última Atualização: março 16, 2015

Formada em 2007, em São Paulo, a Stoneria começou literalmente na garagem. Depois de algumas mudanças na formação, a banda hoje é composta por JJ Zen (vocal), Pedro Rocha (guitarra), Jimi (baixo) e Arthur Geroge (Bateria).

Com o intuito de preservar o antigo lema rock, o grupo paulistano iniciou as atividades em bares, tocando covers e algumas músicas próprias. Com o tempo, o trabalho autoral se tornou o foco dos músicos.

Com o primeiro EP Máquina do Sexo, gravado no estúdio Bonham por Ronaldo Rosato, a banda conquistou vários espaços, tocando para 2 mil pessoas, maior palco da carreira, junto com Velhas Virgens, Krisium e Matanza. “Dividimos palco com Balck Drawning Chalks, Vivendo do Ócio. Nossa música tocou em rádios nos EUA”, relembra o quarteto.

Já em julho de 2013, o grupo concluiu seu primeiro trabalho, que leva o nome da banda, no famoso estúdio El Rocha (Crioulo, Planet Hemp, Ratos de Porão). Gravado e mixado por Fernando Sanches (O Inimigo/ex-CPM 22), o álbum contém 10 faixas e só foi lançado em março de 2014.

Neste ano, a Stoneria planeja lançar um clipe e um disco físico. Leia a entrevista com o grupo.

Reduto do Rock: Quando e como surgiu a banda?

Stoneria: A banda começou em 2007. Nossa diversão se iniciou na garagem da casa da mãe do Arthur, que muitas vezes acontecia até de madrugada com os amigos. Houve trocas de integrantes, pois no começo o vocalista JJ Zen tocava guitarra (a banda era um power trio), e depois com a entrada do guitarrista Pedro Rocha, ele assumiu o baixo.

Com quatro integrantes, planejamos a gravação do nosso primeiro álbum e o estúdio escolhido foi o El Rocha, com Fernando Sanches pilotando a nave espacial. No meio dos ensaios e composições para a gravação do disco, encontramos Jimi, que integrou ao time.

No período de escolha do estúdio para gravação tivemos muita sorte, pois o estúdio El Rocha, localizado próximo à Vila Madalena (SP), estava de mudança para o Sumaré. Quando vimos o local foi um choque! O primeiro estúdio El Rocha tinha equipamento de primeira qualidade, afinal Ratos de Porão, Crioulo e Planet Hemp gravaram por lá. Mas o novo estúdio é um sonho para qualquer músico. O local foi criado para abrigar orquestra de música clássica. Temos orgulho de dizer que fomos a primeira banda a gravar no novo estúdio El Rocha.

RR: Qual o significado do nome do grupo?

S: Loucura. O rock hoje ficou muito politicamente correto. Não estamos falando em algo como “queremos ser o GG Allin”, mas atualmente o rock tem a postura do Axé, Sertanejo, música eletrônica. O funk pancadão tem mais rebeldia e protesto que o rock. O RAP nacional tem mais atitude que o rock. Veja bem, temos que ter todo tipo de rock: que fala de amor, protesto, loucura, sexo, diversão, raiva, filosofia, que mistura com RAP, sertanejo, samba, funk… Mas do jeito que está, daqui a pouco bandas de rock vão tocar no trio elétrico em Salvador. Por este motivo somos o oposto desta grande maioria: levantamos a bandeira da loucura, somos a Stoneria.

RR: Quais os projetos atuais da banda?

S: Tocar mais, tocar mais e tocar mais. Além disso, estamos com o nosso primeiro videoclipe que deve ser lançado agora no primeiro semestre de 2015. Nosso primeiro disco será lançado no formato físico ainda este ano.

RR: Quais são as influências musicais de vocês?

S: Tudo que se pode imaginar. Escutamos desde rock, jazz, samba, bossa nova, MPB, moda de viola, blues e por ai vai. Mas já que somos uma banda rock, podemos dizer que gostamos muito de Black Sabbath, Jimi Hendrix, The Who, Dead Kennedys, Metallica, Carcass, Ramones, Titãs, Raul Seixas, Raimundos, Led Zeppelin, entre outros.

RR: Qual a inspiração na hora de compor?

S: Tudo aquilo que vier em nossa mente. Não temos um padrão, regra, sentimento, motivo ou uma banda para seguir no momento da composição.

RR: Beatles ou Rolling Stones? Por quê?

S: Beatles, sonoramente. Atitude e estilo temos mais ligação com o Stones (mesmo que seja uma ligação pequena), mas o motivo de ser o Beatles é o seguinte: eram garotos da periferia e bem pobres, diferente dos Stones que eram de classe média. Assistir o documentário deles e ver o Paul falando que cruzou o estado para aprender um acorde com sétima, isto tem um valor indiscutível (isto é a atitude do rock que se perdeu). Diferente dos Stones que tem a sonoridade bem blues, o Beatles fez de tudo! Tem composições românticas, influências de blues, músicas pesadas, sublimes, ácida, lúdica, com influências clássica, alegres, divertidas, dançantes, tristes. Sim, o Beatles é a maior banda mundo não somente por estar no lugar certo e na hora certa, mas porque eles fizeram algo muito além.

Depoimento sobre o Reduto do Rock

S: Acompanhamos o site há dois anos. Ele é um ótimo veículo de comunicação em notícias e matérias sobre o mundo do rock. Prova disco é a quantidade de visitas que o site tem. É de extrema importância sites que apoiam o cenário independente, pois isto prova que o rock não está morto! Acreditamos que grandes bandas de rock, que mudam o cenário, vêm do underground, algo diferente de programas de reality show transmitido pela TV.

Stoneria na internet

Site: http://stoneria.com
Facebook: http://facebook.com/stoneriarock
Soundcloud: http://soundcloud.com/stoneria
Youtube: http://youtube.com/stoneriarock
Twitter: http://twitter.com/stoneriarock
Flickr: http://flickr.com/stoneria

Vídeo

Sobre o Reduto de Bandas

A seção é dedicada a apresentar novos artistas ao público, através de uma matéria especial. As bandas também respondem a uma entrevista padrão.

É ou conhece um artista e acha que ele merece destaque neste espaço? Entre em contato através do e-mail contato@redutodorock.com. O conteúdo será analisado.

Por: Álvara Bianca (Colaboradora RR) e Di Centurione

« Fotos exclusivas da apresentação do Sublime With Rome em SP
Novidades: Offspring, Esperanza, Kaiser Chiefs, Daniel Johns, Agata Kissa e outros »

Categorias

Exclusivo! Músicas e Vídeos Reduto de Bandas

Tags

Nenhum comentário