Roger, do Ultraje, interrompe show e reage a críticas da militância virtual do PT

maio 12th, 20140 Comments »Última Atualização: maio 12, 2014

O vocalista do Ultraje a Rigor, Roger Moreira, interrompeu o show de sábado (10) no Festival CCBB de Música Urbana, no Vale do Anhangabaú (São Paulo), para dar uma resposta a militantes virtuais do PT, como José de Abreu. O ator global havia questionado sua integridade no Twitter por “meter o pau no governo federal, mas aceitar patrocínio para se apresentar no evento”.

Leia e assista ao discurso de Roger:

“Hoje fui atacado no Twitter pela militância virtual do PT, os chamados MAVs.

Gente paga para militar. Gente que, na impossibilidade ou incapacidade de defender suas ideias, ataca a pessoa.

Gente baixa, gente escrota, como o ator global José de Abreu, o dublê de jornalista Pedro Alexandre Sanches e gente tão covarde e insegura de suas convicções que se esconde atrás de pseudônimos, como é o caso de Stanley Burburin.

Fui atacado porque segundo a lógica distorcida desses cretinos, eu estaria aceitando dinheiro de um governo que não apoio para tocar hoje aqui, e que isso não seria coerente.

Pois bem, quem está me pagando hoje não é um partido que se considera dono do Brasil. Um governo honesto deve apenas administrar o dinheiro que recolhe do povo e devolvê-lo ao povo em forma de serviços, de acordo com a necessidade desse mesmo povo.

Não vou agora discutir se isso está sendo feito ou não, mas o fato é que estou sendo contratado para exercer meu ofício, nesse caso, trazer cultura e diversão para o povo.

Quem está me pagando é o povo, do qual eu faço parte, através de um órgão do governo que, repito e enfatizo, não pertence a um partido político, ao contrário do que querem acreditar esses canalhas que me perseguem por eu exercer meu direito de pensar e me expressar livremente.

E eu estou com o saco cheio dessa violência indiscriminada, dessa luta de classes cruel e ignorante que vem sendo incentivada de uns tempos pra cá.

Somos todos brasileiros. É esse tipo de miséria que eu gostaria que acabasse no Brasil: a miséria cultural, a pobreza de espírito, a falta de educação de qualidade. Tenho certeza que, bem educados, ninguém precisaria de esmolas do governo, assim como eu nunca precisei.”

Por: Diego Centurione
FonteVeja
Fotos: Denis Ono para RR (2013)

« Requinte e simpatia marcam 2º e 3º dias do Best of Blues; veja fotos exclusivas
Titãs: ouça a íntegra do novo disco “Nheengatu” »

Categorias

Política Shows & Eventos

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio