Requinte e simpatia marcam 2º e 3º dias do Best of Blues; veja fotos exclusivas

maio 12th, 20140 Comments »Última Atualização: maio 12, 2014

Cobertura – Direto do WTC Golden Hall (SP)

Na noite de sábado (10), as pessoas enfrentaram muito frio, vento e garoa para desfrutar de boa música embalada no blues e companhia. O segundo dia do festival Best of Blues 2014, realizado no WTC Golden Hall (São Paulo), trouxe como primeira atração a Céu.

A cantora teve a responsabilidade de embalar a noite, que logo mais teria também no palco Joss Stone e Jeff Beck. Parte do público ainda estava entrando no local e alguns gritos de “linda” e “maravilhosa” ecoaram em direção a ela.

A artista paulistana conseguiu fisgar a atenção dos fãs com canções do último trabalho Caravana Sereia Bloom (2012), como por exemplo, “Sereia do Mar” que traz de início o barulho do mar. Do seu álbum de estreia, que leva seu nome, Céu cantou e mostrou seu clima de “Malemolência”. Um detalhe é o que os dois telões laterais não funcionaram.

Depois de um breve intervalo, o palco estava pronto para o show de Joss Stone. Tapete avermelhado a postos no chão, e a cantora descalça chega trajando um longo vestido branco e colar. Antes da apresentação, a produção do local avisou os fãs para permanecerem sentados, porém o público logo se levantou, a pedido da própria Joss que queria sentir a energia dos brasileiros.

Logo no começo, um mix de “You Had Me” e “Super Duper Love” já serviram para as pessoas se animarem e cantarem. Com muita simpatia e falando o tempo todo com os fãs, Joss conseguiu emocionar a boa parte dos presentes que adquiriram ingresso em especial para o show dela.

Os fãs tanto insistiram que ela tocou “Karma”, faixa do álbum LP1. E a participação da plateia não parou por aí. A inglesa ainda deu o microfone para uma menina cantar o refrão de “Free Me”.  Com toda potencia vocal e interpretação, a última canção foi “Right to Be Wrong” com quase todos querendo que a apresentação não acabasse.

O outro auge da noite veio a seguir. Jeff Beck, que começou a carreira com o The Yardbirds, encantou versando o melhor do blues rock. Para este turnê de 2014, o músico inglês contou com a baixista Tal Wilkenfeld, o guitarrista Nic Meier, o baterista Jonathan James e Lizzie Ball no violino. Durante algumas faixas, Jimmy Hall (ex-Wet Willie), deu a voz.

Além dos incríveis solos de Beck, a noite teve covers de Jimi Hendrix, “Little Wing” e “Manic Depression”, e Beatles, “A Day in the Life”. Por fim, outro destaque foi a participação de Joss Stone durante “I Put a Spell On You”.

Terceiro dia

Já no domingo (11), o frio ainda esteve presente, porém não desanimou o público a comparecer ao último dia do Best of Blues. A boa música começou com Trombone Shorty & Orleans Avenue no palco. Boa parte do show do grupo se deu com parte do espaço vazio, uma vez que as pessoas ainda iam chegando.

Com 20 anos de carreira e divulgando seu disco mais recente Nada pode me parar, Marcelo D2 trouxe sua levada para o festival. Misturando rock e hip hop, o músico chegou ganhando o público com muita interação.

Durante todo o show, D2 dividiu o microfone com Fernandinho Beatbox, sempre elogiando, dando destaque. Fernandinho, inclusive, chegou a fazer um solo com um medley de vários hits. Na última música, Aloe Blacc fez uma participação.

A apresentação que fechou o festival foi a de Aloe Blacc. O cantor americano chamou a atenção com sua voz embalada no folk e soul, que estão entre suas influências. Nas primeiras músicas, o ambiente transmitia um clima sóbrio, mas dava para perceber a vontade de todos em ver o show.

Boa parte do repertório contou com canções do mais recente disco Lift Your Spirit (2013). Uma das músicas mais esperadas foi “Wake me Up”, single que bateu recorde e serviu para consolidar a carreira de Blacc. Durante a apresentação, o público já tomava conta lá da frente do palco.

Com uma produção simples, mas de bom gosto, um dos grandes destaques foi a banda que acompanha o músico. Desse modo é possível concluir que um bom show não precisa de muitos efeitos. A iluminação suave apenas envolve a voz e os arranjos é que dominam o espaço, dando requinte.

Balanço

No geral, o festival Best of Blues teve um saldo positivo. Por ser realizado em um hotel, e com um numero mais reduzido de lugares, 2.500, resulta em algo mais intimista e que muito combina com a proposta de trazer o melhor do blues, rock e R&B para São Paulo.

Tanto os nomes escolhidos para este segunda edição, como a quantidade distribuída por dias, três ao todo, fazem com que o público possa desfrutar de agradáveis momentos.

Em contrapartida, alguns pontos que merecem mais atenção é o reduzido número de banheiros, que resultaram em enormes filas, assim como a existência de apenas um elevador para todo o público, uma vez que os shows acontecem no 5º andar do hotel.

Além do preço dos ingressos, também chamou atenção o alto valor cobrado pelas bebidas.

Veja mais de 100 fotos exclusivas do evento e dos shows

Álbum no flickr, clique aqui!

Primeiro dia

Confira a matéria já publicada, neste link.

Por: Álvara Bianca (Colaboradora RR)
Edição: Diego Centurione
Fotos: Denis Ono para Reduto do Rock

« Especial: Shows e filmes na comodidade da sua casa; veja como aproveitar
Roger, do Ultraje, interrompe show e reage a críticas da militância virtual do PT »

Categorias

Destaque Exclusivo! Fotos Shows & Eventos

Tags

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio