Em “Lightning Bolt”, Pearl Jam faz duelo entre som pesado e fase mais leve

outubro 17th, 20130 Comments »Última Atualização: novembro 5, 2013

Resenha

Nos últimos anos, com os lançamentos dos álbuns Backspacer (2009), Pearl Jam (2006) e Riot Act (2002), o Pearl Jam tem se revezado entre um som mais pesado, que remete ao grunge que o grupo produzia no início dos anos 90, e baladas mais leves, muitas vezes com utilização de sonoridades mais exóticas, o que caracteriza o momento vivido pelo vocalista Eddie Vedder.

Com Into the Wild (2007) e Ukelele Songs (2011), Eddie mostrou um conteúdo além do vocal potente e gritos rasgados. Nos dois trabalhos, em direções distintas e ao mesmo tempo semelhantes, Vedder evidenciou um conhecimento e profundidade musical que até então ficava em segundo plano, diante das guitarras e do som pancada de sua banda.

Esse duelo saudável fica evidente em Lightning Bolt. Separada cirurgicamente pela viajante “Pendulum”, a fase heavy, que fez do Pearl Jam o que ele é hoje, é resgatada em faixas como “Getaway”, “Mind Your Manners” e o rock meio folk “My Father’s Son”. Até mesmo na baladinha dessa primeira parte, “Sirens”, o ritmo é bem acelerado, numa levada que soa quase como uma sequência do clássico “Black”. Ela já prepara para a volta (um pouco mais leve) do som barulhento, com a faixa que dá título ao disco.

Após “Pendulum”, Eddie Vedder coloca para fora toda a suavidade que marcou seus últimos anos de carreira, com uma voz mais aveludada, mesmo que igualmente pesada. O músico aproveita seu momento para apadrinhar ao Pearl Jam a romântica “Sleeping  by Myself”, que já soava excelente na base do ukelele e só se fez diferente e melhor com o apoio da banda.

Lightning Bolt é um álbum que divide opiniões e traz o rumo que o Pearl Jam deve tomar nos próximos anos de carreira. Sem deixar para traz suas raízes, o grupo está envelhecendo, amadurecendo e experimentando mais. Há quem goste, há quem não goste. O fato é que o disco, ao lado do Backspacer (2009), encerra uma fase e inicia um novo processo, de descobertas e novas realidades, que são o combustível de uma banda que já está entrando na meia-idade.

Tracklist de Lighnint Bolt:

1. Getaway
2. Mind Your Manners
3. My Father’s Son
4. Sirens
5. Lightning Bolt
6. Infallible
7. Pendulum
8. Swallowed Whole
9. Let the Records Play
10. Sleeping by Myself
11. Yellow Moon
12. Future Days

Lançamento oficial: 15/10/13

Pré-venda na Saraiva (Brasil): clique aqui!

Por: João Victor Vieira
Edição: Diego Centurione

« Black Sabbath: assista ao novo clipe “Loner”
Setlist do Korn no Monsters of Rock 2013 »

Categorias

Lançamentos Novo Álbum Resenhas

Tags

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio