“New” McCartney: aos 71 anos, Paul se renova mais uma vez

outubro 15th, 20130 Comments »Última Atualização: maio 16, 2014

Resenha

Em qualquer ramo da música moderna, renovação é fundamental para a vida longa de um artista. No rock, esse elemento indispensável se vê na berlinda, sempre obrigado a encarar uma série de barreiras e pré-conceitos que mais atrapalham do qualquer outra coisa.

Essa dificuldade em se atualizar, sempre respeitando as raízes, faz com que bandas gigantes como o Rolling Stones, por exemplo, se coloquem em uma zona de conforto. Elas acabam não demonstrando vontade de se arriscar em novos experimentos, o que é legítimo, visto que o grupo já contribuiu mais do que qualquer outro para o mundo do rock.

Mas é exatamente por isso que Paul McCartney é diferente. Aos 71 anos, renovado, com espírito, energia e brilho de um garoto de 20 e poucos, o beatle mais bem sucedido acaba de lançar New (capa acima), disco que, em sua edição deluxe, conta com 14 faixas ousadas e mais uma baladinha escondida no final.

Nesses 53 minutos de som, Paul viaja por toda a sua carreira, com influências que vão desde a fase Revolver dos Beatles, evidente na faixa single “New”, passando pela fonte Wings, que mata a sede dos fãs em “Save Us”, até visitar fases de sua carreira solo, em canções como “I Can Bet”, que tem muito da sonoridade de Off The Ground (1993).

No restante, as animadíssimas “Queenie Eye” e “Everybody Out There” dão sequência ao novo som que o eterno beatle já desenhava nos álbuns Electric Arguments (2008), dentro do projeto The Fireman, e Memory Almost Full (2007), que vem beber do rock alternativo atual, com batida eletrônica e muita energia.

Esse mix todo é fundamental, do ponto de vista do show business, para um artista com mais de 50 anos de carreira. Há muito o que se analisar e visitar na carreira do Paul McCartney, da mesma maneira que há muita gente para agradar. E, inteligente e experiente como é, o maior nome da música pop coloca toda a sua criatividade para fora e bota um sorriso no rosto do fã mais conservador. Além disso, Paul mostra ao mundo um novo momento em sua vida, que se junta ao casamento com Nancy Shevell, a consolidação de sua nova banda e ao ritmo ainda mais animado, que o ex-líder dos Wings quer viver na vida após os 70.

Tracklist de New:

1. Save Us (produced by Paul Epworth)
2. Alligator (produced by Mark Ronson)
3. On My Way To Work (produced by Giles Martin)
4. Queenie Eye (produced by Paul Epworth)
5. Early Days (produced by Ethan Johns with additional production by Giles Martin)
6. New (produced by Mark Ronson with additional production by Giles Martin)
7. Appreciate (produced by Giles Martin)
8. Everybody Out There (produced by Giles Martin)
9. Hosanna (produced by Ethan Johns)
10. I Can Bet (produced by Giles Martin)
11. Looking At Her (produced by Giles Martin)
12. Road (produced by Paul Epworth)

Deluxe includes bonus tracks:

13. Turned Out (produced by Ethan Johns with additional production by Giles Martin)
14. Get Me Out Of Here (produced by Giles Martin)

Lançamento oficial: 14/10/13

À venda na Saraiva (Brasil): clique aqui!

Por: João Victor Vieira
Edição: Diego Centurione

« Nasi e Edgard Scandurra farão show juntos em São Paulo, no dia 30
Monsters of Rock: pedidos saudáveis para os camarins do Aerosmith, Whitesnake e mais »

Categorias

Lançamentos Novo Álbum Resenhas

Tags

Comentários

Nenhum comentário