Reduto de Bandas: Republique du Salem

abril 24th, 20133 Comments »Última Atualização: fevereiro 5, 2015

A música, além de divertir, pode ser uma forte ferramenta de discussão sobre princípios da sociedade e conscientização. Foi com este pensamento em comum que Davi Stracci (27, vocal) e Guido Lopes (29, guitarra, violão e piano) formaram, em 2010, a Republique du Salem, ganhando mais tarde os reforços de Márcio Albano (41, baixo) e Raul Lino (32, bateria). Apesar de recente, a banda contempla a experiência pessoal de cada um dos músicos, com mais de 15 anos de estrada, para demarcar sua sonoridade.

No dia 26 de abril, eles se apresentaram no Café Piu Piu (São Paulo), quando lançaram o álbum de estreia O Fim da Linha não é o Bastante. A íntegra do CD, produzido por Brendan Duffey e Adriano Daga, já está disponível para audição neste link. O grupo liberou também um diário de gravações, no seu canal do Youtube (veja abaixo).

Conheça melhor o quarteto, através do bate-papo que a banda teve com o Reduto:

Reduto do Rock – Quando e como surgiu a banda?

Guido Lopes – Em 2010, o Davi e eu nos conhecemos através de um amigo em comum, que nos chamou pra participar de um projeto musical que ele tinha. A gente desenvolveu uma amizade e percebemos que tínhamos, além de uma afinidade musical, um objetivo semelhante, então decidimos começar a Republique. O Márcio (baixista) já era meu amigo de longa data (tocamos juntos em outras bandas), e o Raul, conhecido do Davi há tempos, então quando calhou de tocarmos juntos, a química já rolou no primeiro acorde (risos).

RR – Qual o significado do nome da banda?

Davi Stracci - Republique du Salem, um mundo onde é possível ter paz em meio ao caos. Inspirado na obra “A República”, o nome da banda está ligado à ideia de justiça abordada por Platão, exemplificada em uma cidade perfeita, ou seja, sem falhas. Este conceito só é possível se observado em um ambiente onde não haja erros (o chamado “mundo das ideias”). Completando a mesma ideia, a palavra Salém (hebraica-Árabe) tem alguns significados, dentre eles: paz, plenitude, completo. O objetivo da banda é discutir princípios que regem a sociedade e propor um maior grau de conscientização através da música.

RR – Quais são as influências musicais de vocês?

Raul Lino - Nossa música é muito influenciada pelos anos 70. Tem bastante do rock clássico das bandas inglesas e do hard rock/blues das bandas americanas. O diferencial fica por conta da adição de elementos modernos e progressivos. A ideia é sempre balancearmos um pouco de tudo que nos influencia, sem esquecer do que nos levou a sermos fãs de Rock’n'Roll.

Sobre bandas e artistas, podemos citar Black Crowes, Lynyrd Skynyrd, Led Zeppelin, Deep Purple, Rush e Pink Floyd. No Brasil, Mutantes e Titãs. Das contemporâneas destacamos Black Country Communion, Rival Sons, The Black Keys, Black Mountain e também artistas mais alternativos como Ben Harper, Bob Dylan, Jeff Buckley, Radiohead, Wilco, entre outros.

RR – Qual a inspiração na hora de compor?

DS – (Letra) Este processo nem sempre segue um padrão, dependendo do momento da vida a inspiração surge de maneiras diferentes, mas se pudesse eleger a maneira mais comum, seria o sentimento e a reflexão gerada pelas histórias de pessoas que tenho a oportunidade de conhecer, um livro, um filme, etc… A partir deste momento não posso parar para dar atenção a outra coisa, fico imerso neste processo até me convencer que está bom, muitas vezes demora dias (risos).

GL: (Música) No aspecto musical, as ideias podem surgir de qualquer forma (através de sons cotidianos, urbanos) e nas horas menos previsíveis, por isso, tenho sempre um gravador comigo. Alguns temas e riffs deste álbum, por exemplo, foram criados em estações de metrô, lugares públicos etc. Uma vez com as ideias, geralmente trabalho um pouco na estrutura delas antes de trazer para desenvolvermos no estúdio, daí vamos sentindo a direção que a música vai seguir.

 RR – Beatles ou Rolling Stones? Por quê?

GL – Musicalmente, os Beatles. Gosto da atitude e energia dos Stones.

DS - Gosto dos dois, mas com relação à contribuição para o rock, entendo que os Beatles tiveram um papel maior, por sua contínua capacidade de transformação musical (Sargeant Peppers é um exemplo claro disso). Já os Stones, endossaram o espírito “Rock n’ Roll” a coisa do “muleke piranha” (risos). As duas bandas são pilares para o rock.

RL – Bom seria se tivéssemos os dois juntos. Não sei onde os Beatles iriam parar se tivessem a longevidade do Stones. A musicalidade dos Beatles é atemporal, sobrepõe todos os estilos e nos ensina uma coisa nova cada vez que escutamos suas gravações. Stones nos mostrou o caminho do que é ser um rockstar, seus discos têm sempre uma mesma energia. Mesmo os lançamentos mais recentes são de uma atitude ímpar. Ouça “Don’t Stop” ou “Doom and Gloom” e vai saber do que estamos falando. Em suma, aprenda com os Beatles e seja um Rolling Stone.

Republique du Salem na internet

Site: www.republiquedusalem.com.br
Facebook: on.fb.me/republiquedusalem
Twitter: @RepubliqueSalem
Youtube: youtube.com/RepubliqueDuSalem
Soundcloud: soundcloud.com/republiquedusalem
Reverbnation: reverbnation.com/republiquedusalem
Flickr: flickr.com/republique
Instagram: instagram.com/republiquedusalem

Vídeos

Sobre o Reduto de Bandas

A seção é dedicada a apresentar novos artistas ao público, através de uma matéria especial. As bandas também respondem a uma entrevista padrão.

Tem ou conhece um artista e acha que ela merece destaque neste espaço? Entre em contato através do contato@redutodorock.com. O conteúdo será analisado.

Por: Lisiane de Assis e Diego Centurione

« Ludov lança EP neste domingo, em São Paulo
Two Door Cinema Club: veja o novo clipe “Handshake” »

Categorias

Exclusivo! Músicas e Vídeos Reduto de Bandas

Tags

3 Comments

  1. [...] Há algum tempo conheci essa banda por um amigo [Di Centurione] do Reduto do Rock . Com influências do rock clássico internacional, como bandas – Led Zeppelin, Pink Floyd, Lynyrd Skynyrd, Deep Purple e também nacionais Mutantes e Titãs – a banda REPUBLIQUE DU SALEM faz um som com uma mistura do rock clássico inglês com o hard, rock/blues americano, mais a mistura do som moderno e progressivo. Uma banda ainda muito nova, mas com experiências de mais de 15 anos fazendo o verdadeiro rock n´roll. A seguir tem uma entrevista que o site Reduto do Rock fez com eles para o Reduto de Bandas, confiram mais um pouco dessa história http://redutodorock.com.br/redutodorock/site/2013/04/24/reduto-de-bandas-republique-du-salem/ [...]

  2. [...] Há algum tempo conheci essa banda por um amigo [Di Centurione] do Reduto do Rock . Com influências do rock clássico internacional, como bandas – Led Zeppelin, Pink Floyd, Lynyrd Skynyrd, Deep Purple e também nacionais Mutantes e Titãs – a banda REPUBLIQUE DU SALEM faz um som com uma mistura do rock clássico inglês com o hard, rock/blues americano, mais a mistura do som moderno e progressivo. Uma banda ainda muito nova, mas com experiências de mais de 15 anos fazendo o verdadeiro rock n´roll. A seguir tem uma entrevista que o site Reduto do Rock fez com eles para o Reduto de Bandas, confiram mais um pouco dessa história http://redutodorock.com.br/redutodorock/site/2013/04/24/reduto-de-bandas-republique-du-salem/ [...]

  3. [...] Há algum tempo conheci essa banda por um amigo [Di Centurione] do Reduto do Rock . Com influências do rock clássico internacional, como bandas – Led Zeppelin, Pink Floyd, Lynyrd Skynyrd, Deep Purple e também nacionais Mutantes e Titãs – a banda REPUBLIQUE DU SALEM faz um som com uma mistura do rock clássico inglês com o hard, rock/blues americano, mais a mistura do som moderno e progressivo. Uma banda ainda muito nova, mas com experiências de mais de 15 anos fazendo o verdadeiro rock n´roll. A seguir tem uma entrevista que o site Reduto do Rock fez com eles para o Reduto de Bandas, confiram mais um pouco dessa história http://redutodorock.com.br/redutodorock/site/2013/04/24/reduto-de-bandas-republique-du-salem/ [...]