Titanic e Beatles ganham homenagens em novo álbum de Bob Dylan

julho 18th, 20122 Comments »Última Atualização: julho 19, 2012

Que o grande astro do folk-rock Bob Dylan não é mais o mesmo todos sabemos. Porém, uma coisa não podemos negar: o norte-americano não perdeu a sede pela música.

Aos 70 anos de idade, Dylan comemorou o 50º aniversário de lançamento do álbum Bob Dylan, de 1962, o primeiro de sua carreira. Como se não bastasse, a gravadora Sony Music acaba de anunciar, para 11 de setembro, o lançamento do 35º trabalho do músico, o disco Tempest (capa acima), que incluirá 10 composições autorais e inéditas.

No caso de Tempest, devemos analisá-lo com muita calma e sem euforia. A voz de Bob é consideravelmente menos potente nos dias de hoje e sua capacidade física é extremamente limitada, fato que fez com que parte do público saísse desapontado dos últimos shows no Brasil. Neste trabalho, pode-se esperar um Dylan mais positivo. Há grandes evidências de que o novo álbum tem uma forte influência da música mexicana. O que é um atrativo, pois pode mostrar um lado da criatividade do cantor que, em 50 anos de carreira, ainda não vimos.

Bob Dylan assina também a produção, uma fórmula que já foi usada em diversos trabalhos anteriores, como Under The Red Sky (1990) e em seus últimos discos: Time Out of Mind (1997), Love and Theft (2001), Modern Times (2006), Together Through Life (2009) e Christmas in the Heart (2009).

Os principais atrativos do álbum encontram-se nas duas últimas faixas. Em “Tempest”, Bob apresenta uma música de 14 minutos que conta a história do naufrágio do Titanic, que ocorreu há 100 anos atrás, fazendo alusões ao clássico filme de James Cameron, lançado em 1997. Já em “Roll On John”, Dylan faz uma singela homenagem à John Lennon, seu grande amigo pessoal, e aos Beatles, banda a quem, segundo relatos, ele apresentou as drogas. A canção contém trechos das letras de “Come Together” e “A Day In The Life”.

Tempest conta, ainda, com a colaboração de David Hidalgo, da banda mexicana Los Lobos, o que faz os críticos acreditarem ainda mais que Dylan trará um som com influências profundas do ritmo “caliente” mexicano.

Tracklist do novo álbum:

1 – Duquesne Whistle
2 – Soon After Midnight
3 – Narrow Way
4 – Long and Wasted Years
5 – Pay In Blood
6 – Scarlet Town
7 – Early Roman Kings
8 – Tin Angel
9 – Tempest
10 – Roll On John

Por: João Victor Vieira (Colaborador Reduto do Rock)
Edição: Diego Centurione

« Keane: veja o novo vídeo “Black Rain”
The Vaccines: assista ao novo clipe “Teenage Icon” »

Categorias

Lançamentos Novo Álbum

Tags

Comentários

2 Comments

  1. Sérgio P. Alves disse:

    1. Dylan não é mais o mesmo, como nenhum de nós permanece sendo. Mas ainda é tão bom quanto fora.
    2. Desconheço estes milhares de fãs que saíram insatisfeitos dos shows do bardo, no Brasil. Os fãs sabiam perfeitamente o que os esperava nos convcertos e saíram contentes com o que receberam.
    3. Jack Frost não é parceiro do Dylan, mas sim o próprio.

    • redutodorock disse:

      Sérgio, tudo bem?

      Obrigado pelo comentário!

      Algumas partes do texto foram alteradas.

      Continue participando sempre!

      Abs!!!

      Di Centurione