Tributo à Legião Urbana é feito por Dado, Bonfá, Wagner Moura e 8 mil fãs emocionados

junho 1st, 20120 Comments »Última Atualização: junho 10, 2012

Na última terça e quarta-feira, 29 e 30 de maio, a MTV Brasil levou ao palco do Espaço das Américas (São Paulo) uma das homenagens mais esperadas de todos os tempos, o MTV ao Vivo – Tributo à Legião Urbana. No palco, além do guitarrista Dado Villa-Lobos e do baterista Marcelo Bonfá; o ator, cantor e fã Wagner Moura, que assumiu os vocais da banda mais conhecida e representativa do rock nacional.

Na quarta, o Reduto do Rock esteve ao vivo na gravação para cobrir o show. Nas próximas linhas, você verá um resumo do que as 8 mil pessoas na platéia presenciaram.

Antes de qualquer coisa nos sentimos na obrigação de esclarecer uma diferença com a ajuda do nosso amigo dicionário; a diferença entre “tributo – impor tributo à; prestar ou dedicar a alguém ou a alguma coisa; tributar homenagens; contribuir” e “cover – diz-se do que tem semelhança com alguém ou o copia de alguma forma. Diz-se do indivíduo que é ou se faz sósia de alguém”. O show apresentado foi um tributo, entendido?

Dizemos isso pois desde a primeira apresentação não é raro ver por aí, principalmente nas mídias sociais, um pessoal cobrando do Wagner Moura uma espécie de reencarnação do Renato Russo. O único problema é que essa nunca foi a proposta; Wagner fez ali o papel de representante dos fãs da Legião Urbana, cantando durante todo o show com sua voz, suas limitações e uma empolgação e emoção contagiantes. Renato Russo é insubstituível, é sim a grande força da banda e é óbvio que fez e fará falta em qualquer execução de suas músicas; porém como disse Dado Villa-Lobos em certo momento, é certeza que ele estaria muito orgulhoso se pudesse ver o legado que deixou para tantos fãs.

O principal ali era, independente de aspectos musicais ou técnicos, a emoção de todos os presentes. A energia que vinha do palco para a plateia e retornava em dobro para os músicos, é algo indescritível e fato é que multiplicava-se a cada música.

Por volta das 22h00 o show teve início com “Tempo Perdido”, seguido de “Fábrica”, “Daniel na Cova dos Leões” e “Andrea Doria”; nesta última, Wagner Moura declara ser sua preferida e chama Fernando Catatau, da banda Cidadão Instigado, para dividir os vocais com ele e as guitarras com Dado. Na sequência vieram “Quase sem Querer”, “Eu Sei” e a dupla de músicas nunca executadas pela formação original da Legião Urbana: “A Via Láctea” e “Esperando por Mim”, ambas do álbum A Tempestade ou o Livro dos Dias, lançado em 1996, ano também da morte de Renato.

Em seguida, “Monte Castelo” é executada, acompanhada de orquestra de cordas. Wagner Moura deixa o palco e Marcelo Bonfá assume os vocais em “Teatro dos Vampiros”. Logo após, Dado Villa-Lobos faz uma versão acústica para “Geração Coca-Cola”, com a participação de Clayton Martin na gaita; momento interrompido por um expectador “do contra” que xingou a mãe do guitarrista e parecia não estar gostando do que via.

O baixo astral durou pouco; foi só Andy Gill, do Gang of Four (banda inglesa que influenciou a Legião durante a carreira e tocou no Brasil no Festival da Cultura Inglesa de 2011) subir no palco que Dado interpretou “Damaged Goods” com muita vontade e boas vibrações.

Na canção seguinte, “Ainda é Cedo”, também foi somado aos músicos – além do trio principal a banda tributo foi formada pelo baixista Rodrigo Favaro, o guitarrista Gabriel Carvalho e o tecladista Caio Costa Silva – o baixista Bi Ribeiro, integrante do Paralamas do Sucesso. Nesta hora, Wagner Moura voltou para assumir os vocais e a empolgação só aumentava; em diversos momentos a música encerrava e ele continuava dançando obedecendo a adrenalina que estava visivelmente à mil.

“Há Tempos”, “Sereníssima”, “Duas Tribos”, “Quando O Sol Bater Na Janela Do Teu Quarto” e “Perfeição” também figuraram no setlist; todas ovacionadas pelo público que respondia a cada acorde cantando, dançando e se emocionando junto.

No encerramento – após o bis com as belíssimas “Teorema”, “Antes das Seis”, “Giz” e “Pais e Filhos” – a platéia teve a maior surpresa e presente que poderia querer; mesmo sem ensaio a banda executou os 9 minutos de Faroeste Caboclo cantada em uníssono em um Espaço das Américas completamente lotado.

Comparando ao que assistimos pela TV no dia anterior, o show de quarta-feira parece ter sido muito mais acertado. Todos os imprevistos técnicos, tanto da parte da produção quanto dos músicos, foram corrigidos; o nervosismo tão visível no dia 29 deu lugar à diversão permitida. Foi uma noite pra ficar na memória de todos os presentes, da banda e também da história do rock nacional, afinal segundo Dado e Bonfá esta foi a última vez que os dois apresentaram as músicas da Legião Urbana em um show ao vivo; é o fim do estigma e de tanta responsabilidade.

Se você perdeu anote aí: o Tributo ainda será reprisado pela MTV nesta sexta (1º) a partir das 22h30, no sábado às 20h30 e no domingo às 18h00. No site da emissora a apresentação também está disponível na íntegra. Para assistir é só acessar este link.

Fotos

Veja imagens exclusivas do show de 30 de maio, clique aqui!

Por: Roberta Lopes (Colaboradora Reduto do Rock)
Edição: Diego Centurione 

« Keane confirma dois shows no Brasil; apresentações serão com Maroon 5
Ugly Kid Joe: ouça a íntegra do novo EP “Stairway To Hell” »

Categorias

Exclusivo! Fotos Shows & Eventos

Tags

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio