Reduto de Bandas: The Gramophones

maio 26th, 20120 Comments »Última Atualização: dezembro 21, 2012

Apesar da banda The Gramophones estar dando os primeiros passos na estrada, com dois anos de existência, possivelmente um de seus integrantes é um rosto conhecido de quem acompanha o rock nacional. Brunno Cunha (22), tecladista da Pitty, que inclusive tocou no DVD mais recente A Trupe Delirante, é o guitarrista e um dos fundadores do The Gramophones. Ele se uniu a Felipe Rangel (27), vocal, Pedro Guy (22), baixo, e José Monaco (28), bateria, para fazer um som que busca inspiração em várias décadas do rock.

Com letras em inglês e uma sonoridade que vai das guitarras pesadas do rock n’ roll, aos violões swingados do blues, os paulistas acabam de lançar seu primeiro CD, Down by the Countryside, disponível na íntegra no SoundCloud.

Conheça um pouco mais sobre a banda, lendo a entrevista concedida pelo guitarrista, Brunno Cunha (à esquerda na foto).

Reduto do Rock – Quando e como surgiu a banda?

Brunno Cunha - Eu já tinha tocado com o Rangel e com o Pedro em uma banda chamada Flavour, de 2007 a 2009. The Gramophones surgiu em 2010, como um projeto meu e do Rangel para regravar algumas músicas que tínhamos feito nessa época. Em 2011, chamamos o J. Monaco para gravar bateria e aí começamos a virar uma banda. Nosso primeiro baixista foi o Arthur Zarpelon, mais ele saiu no começo de 2012, então resolvemos chamar o Pedro. E assim estamos até agora.

RR – Qual o significado do nome da banda?

BC - Sei lá, eu achei que era sonoro. O Rangel gostou na época e é isso.

RR – Quais são as influências musicais de vocês?

BC - Rock e blues, principalmente. Gostamos bastante de anos 60 (The Beatles, The Rolling Stones, Cream, Bob Dylan), anos 70 (Led Zeppelin, Black Sabbath, Grand Funk Railroad), anos 90 (Pearl Jam, Nirvana, Black Crowes) e anos 2000 também (The White Stripes, The Black Keys, Kings of Leon). Não sei como resumir isso aqui, mas acho que dá pra ter uma ideia… Tomara que sim!

RR – Qual a inspiração na hora de compor?

BC - Hum… Não sei, muitas ideias de música vêm meio que “do nada”, só de estar tocando guitarra ou violão sozinho no quarto. Sobre as letras, escrevemos sobre coisas que aconteceram com a gente, situações que passamos na vida, lugares que gostamos (Avaré), sei lá… O que é certeza é que tudo que está escrito é sincero.

RR – Beatles ou Rolling Stones? Por quê?

BC - Ih, isso rende uma bela discussão… Eu não tenho certeza quanto a todos da banda, mas eu prefiro Beatles. É muito difícil explicar o porque, mas acho que sempre me identifiquei mais com os discos e com a personalidade deles.

The Gramophones na internet

Site: em breve
Facebook: facebook.com/thegramophones
Twitter: @thegramophones
Soundcloud: soundcloud.com/thegramophones
Youtube: youtube.com/TheGramophones

Vídeo

Por: Lisiane de Assis (Colaboradora Reduto do Rock) e Diego Centurione

« Ugly Kid Joe lança clipe do novo single “Devil’s Paradise”; assista
Setlist do Linkin Park no Rock in Rio Lisboa »

Categorias

Entrevistas Exclusivo! Músicas e Vídeos Reduto de Bandas

Tags

Nenhum comentário