Restart influenciado pelos Beatles. Blasfêmia?

outubro 21st, 20118 Comments »Última Atualização: junho 29, 2012

Restart cita Beatles como influência e completa a Santíssima Trindade de autocomparações blasfemas.

Tudo começa há 1978 anos, quando um homem cabeludo que movia multidões com suas palavras foi crucificado em Jerusalém. 1933 anos depois, um jovem cabeludo de Liverpool, que movia multidões de jovens com suas canções e sua banda, foi crucificado por se dizer mais famoso que o primeiro.

Agora, 45 anos depois dos ingleses, um grupo de (pós?) adolescentes que move multidões de (pré?) adolescentes, após ser crucificado por roqueiros das gerações X e Y, justifica sua mudança de estilo comparando-se aos próprios ingleses – os deuses dos roqueiros anteriormente citados.

A banda Restart – prestes a lançar as músicas novas em um projeto chamado “Geração Z” – vem falando sobre os novos planos e o novo visual citando ninguém menos que os Beatles.

Em junho, ao falar sobre um possível filme da banda, o baterista Thomas afirmou ao iG, que há “influências do filme ‘Os Reis do Ié Ié Ié’ (A Hard Day’s Night)”, da banda de John Lennon. Agora, após uma seção de fotos onde o visual – elemento mais marcante da banda – se mostra menos “berrante”, a stylist Malena Russo explica à Folhateen, como um quinto integrante da banda, que a inspiração para as novas roupas vem de roupas militares e dos Beatles.

A explicação vai além. “Crescemos e amadurecemos”, diz Pe Lanza, figura central da banda, à mesma Folhateen. “Quando vaiaram (no VMB 2010), vimos que ainda havia muito para conquistar. Muitos disseram: é uma banda que subiu muito rápido e vai cair na mesma intensidade. Temos que provar que não”. Ainda em outra entrevista, publicada pelo Megazine (O Globo) ele insiste: “Só porque aparecemos numa foto de divulgação usando roupas aparentemente mais adultas, começaram a nos chamar de ‘ex-coloridos’ e a supor que apostaríamos numa nova direção musical. Isso não tem nada a ver.”

O que chama a atenção é que, em nenhum momento, as músicas novas tiveram a devida ênfase dada pela própria banda. Nem foram tratadas como algo que trará mudanças essenciais na sociedade ou idéias revolucionárias à tal geração. O que é citado é que a banda quis transformar em música a personalidade de seus integrantes e seus seguidores*, além de deixar claro que o estilo de som será o mesmo. Em outro momento, a descrição faixa a faixa do novo “disco” feita por Pe Lu (guitarrista da banda) é, no mínimo, vaga.

Jesus Cristo foi crucificado por alguns que eram contra suas pregações, mas seguido por quem acreditava em suas palavras e idéias. John Lennon foi perseguido por declarações polêmicas e idéias ainda mal-interpretadas, mas continuou. Resta saber se a geração Z vai receber o “novo” Restart com atenção e com o cuidado de avaliar se suas músicas, palavras e idéias são originais a ponto de ficarem marcadas na história. Se seus integrantes estão dispostos a passar por todos os tipos de experiências que aqueles que deixaram marcas passaram – de preconceitos à drogas. Ou se vão simplesmente ajoelhar, fanáticos, e dizer “amém”.

*Nota: A “Geração Z” é formada por jovens de 15 anos ou menos, que são multitarefas, ou seja, vivem “zapeando”, conectados a todos os tipos de mídias o tempo todo. E, mesmo com toda a informação ao seu dispor, provavelmente não sabem um terço da história de John, Paul, George, Ringo ou Jesus.

Nota do Editor: Enquanto esta matéria era finalizada, a banda Restart foi, mais uma vez, vaiada no VMB – dessa vez, vestindo preto.

Por Rubens Loureiro, vocalista e guitarrista da banda Reversi (Colaborador Reduto do Rock)
Edição: Diego Centurione

« Veja os vencedores do VMB 2011
Rock Nacional chega hoje aos cinemas »

Categorias

Exclusivo! Opinião

Tags

Comentários

8 Comments

  1. Juliana disse:

    Quem é restart??

  2. Só o que me faltava SHUASHUASAUH’ Puts…

  3. Preta disse:

    Eles Com Certeza Vão Marcar a História Do Rock. ” No Começo Do Séc 21 Tinha Um Bando De Muleque Colorido Que Se Dizia Roqueiro. Qual Era O Nome Deles Mesmo??? ” Dificilmente Essa Mácula Vai Ser Apagada Da História Do Nosso Tão Amado Rock *-*

  4. José Ortiz disse:

    O cantor principal tem uma voz de ganso sendo abusado. O que eles tocam nunca vai ser considerado Rock. Podem fazer tatuagens, usar correntes.. oq for. Ah, eu considero um desperdício de instrumentos =/ guitarras boas sendo usadas pra tocar músicas retardadas.

  5. karol costa disse:

    Bom, eu não espero nada dessa bandinha ai…
    A “geração z” deve estar agora se atualizando no google e pesquisando sobre os Beatles p/ não fazer feio kkkk

  6. Ana Annegues disse:

    O negócio é vocês darem importância a uma banda claramente teen. Pode ter uma guitarra, um baixo e uma bateria, mas ainda sim uma banda TEEN. E como tal não merece atenção. É uma banda feita pra crianças. Essas crescerão e o Restart não passará de uma longíqua lembrança e claramente outra estará no lugar para entreter as crianças da futura geração. SEMPRE foi assim.
    Melhor gastar letras digitadas com bandas de verdade, criticando artistas que produzem músicas para adultos. Criticar restart é pura perda de tempo e energia. É a mesma coisa que criticar Patati Patatá.

  7. Ainda assim, prefiro o Patati Patatá!!
    Se esses merdas ficassem na deles e assumissem sua identidade musical e parassem de usar um titulo que NÃO SERVE para eles (roqueiros), nem as criticas e nem as vaias teriam acontecido.

  8. Leonardo Felipe Nerone disse:

    Eu tenho 11 anos, sei toda a historia dos Beatles e amo suas músicas.
    E que porra é essa de Restart?


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio