Sinto falta de cantar músicas do Oasis, diz Liam Gallagher em entrevista

agosto 29th, 20110 Comments »Última Atualização: agosto 29, 2011

Dois anos após o fim do Oasis, o ex-líder e vocalista da banda, Liam Gallagher, 38, diz estar mais maduro e ter “crescido muito”. Liam conversou por telefone com a Folha de São Paulo, na última quinta-feira (25).

Veja a matéria assinada por Carol Nogueira e a íntegra da entrevista, abaixo.

O músico falastrão e briguento que fez fama nos anos 1990, quando sua banda era a maior do mundo, e seu indefectível senso de humor, ainda estão lá. Mas há uma tranquilidade insólita.

“Eu não sinto falta das brigas, mas, sim, da música. Eu adoro cantar Oasis. Mas eu prefiro não ter de brigar mais…”, disse.

Um dia antes, Liam desistiu de processar o irmão, a quem acusava de ter mentido sobre o ocorrido em 2009 no festival inglês V.

Naquele ano, o vocalista cancelou o show que o Oasis faria no evento alegando uma laringite. Porém, Noel dizia que o irmão estava de ressaca.

Na semana passada, Noel confirmou a versão de Liam e pediu desculpas ao irmão. Liam diz que bastou para desistir do processo. Isso, e um pedido da mãe, Peggy.

“Ele pediu desculpas e disse a verdade, então acabou. Eu não engano meus fãs. Não sou uma farsa”, diz Liam.

Mas, então, o que aconteceu no fatídico dia do V? “Bem, você sabe, man (cara)” –diz Liam, frisando o sotaque de Manchester– “alguém estava mentindo”.

“Eu já cantei de ressaca e bêbado, mas não consigo cantar se não puder falar”, explica Liam, eleito em 2010 o melhor vocalista de todos os tempos pela revista inglesa “Q”.

Entrevista

Liam Gallagher - Que horas são aí?

Folha – São 7h da manhã. [na Inglaterra, onde Liam estava, eram 11h)

Liam - Uou. Cool.

Folha – Eu sempre pensei que rockstars estariam dormindo às 11h da manhã no Reino Unido.

Liam - Não eu, senhora. Eu acordo às 6h da manhã todos os dias.

Folha – E o que faz quando acorda?

Liam - A primeira coisa quando acordo é ligar a TV, então tomo café e saio para uma longa caminhada. Volto, tomo banho, levo meus filhos para a escola e faço o que tiver de fazer depois.

Folha – Das duas últimas vezes que o Oasis tocou aqui, chovia muito. Acha que é tipo uma maldição e vai chover de novo?

Liam - Acho que não. Acho que vamos ficar com muito calor.

Folha – Os membros são quase os mesmos, mas qual a diferença entre tocar com o Beady Eye e com o Oasis?

Liam - O espírito é o mesmo. No Oasis, a gente simplesmente subia no palco, não falava muito e deixava a música falar por nós. E é assim também com o Beady Eye. A única diferença, de verdade, é que não tocamos músicas do Oasis, só do Beady Eye. Oasis e Beady Eye são duas grandes bandas. Eu achava que o Oasis era a melhor banda do mundo. E acredito que o Beady Eye também é, sabe o que eu quero dizer? Vai levar algum tempo até que as pessoas se acostumem. Só faz um ano que estamos juntos e já fazemos shows melhores do que os últimos do Oasis. O futuro é brilhante para o Beady Eye, sem dúvida.

Folha – Você acha que o Beady Eye vai ser maior que o Oasis?

Liam - Não tenho certeza quanto a isso. Ninguém sabe o futuro. Não sei, provavelmente não… Mas vale a pena tentar. Estou colocando tudo o que tenho no Beady Eye, como fiz com o Oasis.

(Pede um segundo e fala com o filho Gene, 10)

Então… Como eu estava dizendo, nós temos mais músicas para as pessoas ouvirem. Vamos ver, vamos ver.

Folha – Você ficou chateado quando o Oasis acabou?

Liam - Sim, eu fiquei, por que era minha banda que eu amava, vivia e respirava. E Noel simplesmente a separou. Acho que foi um pouco ruim e não muito profissional. Eu fiquei irritado, por que aquela era minha vida. Mas eu superei depois que montei o Beady Eye.

Folha – Você acha que as coisas poderiam ser diferentes agora com o Oasis?

Liam - Se as coisas poderiam ser diferentes… Quem sabe, man, quem sabe. Eu sei que eu cresci um pouco quando estava no Oasis. Resta saber se Noel amadureceu. Mas o Oasis acabou, então…

Folha – Você prefere sua carreira sem o Noel?

Liam - Hã… Olha, eu adoro o Oasis. Eu adoro cantar as músicas do Oasis. Se eu prefiro? Eu prefiro não ter de brigar mais… As pessoas acham que eu gosto de brigar com o Noel. Não sou uma dessas pessoas que você pode passar por cima e me sacanear. Eu tenho de lutar pelos meus direitos às vezes. Eu não sinto falta das brigas, mas sinto falta da música.

Folha – Você já teve vontade de tocar músicas do Oasis durante shows do Beady Eye?

Liam - Não, por que não faria sentido tocar músicas do Oasis no nosso show. Isso não é o Oasis, isso é o Beady Eye. Pra nós, tocar “Wonderwall” e depois tocar uma música do Beady Eye é um pouco esquizofrênico, não é saudável. Nosso baterista disse: “Foda-se, não vamos tocar músicas do Oasis. Se as pessoas não vierem nos ver por que não tocamos músicas do Oasis, então que seja”. Eu acho que o Beady Eye é tão bom quanto o Oasis. Noel tem que cantar essas músicas, a gente não. Se você for ver o Noel Gallagher e ele só tocar o “High Flying ‘fucking’ Birds”, seja lá qual for o nome, ele precisa tocar músicas do Oasis. Eu não. A gente não.

Folha – E o processo que você ia jogar nele?

Liam - Bem, você sabe, man, alguém estava contando mentiras. Eu não estava de ressaca, eu estava doente. Ele teve seis semanas para ser instruído a me pedir desculpas por ter mentido, ter sido desrespeitoso, o que quer que ele tenha dito aos jornais. Eu tomei isso nos meus próprios braços. Meu empresário não me respondeu. O empresário dele também não. Então, eu fiquei sozinho. Fui aconselhado a ir ao tribunal e fiz isso. Mas Noel pediu desculpas, então acabou, risquei do meu caderninho. Ele pediu desculpas e disse que eu estava falando a verdade, era tudo o que eu queria. Então acabou. Eu não engano as pessoas que vão me ver. Não sou uma farsa. Havia fãs ali que queriam ver a gente tocar, eu não vou dizer que não vou tocar por que estou com dor de cabeça. Ele não pode dizer que eu fiz uma coisa que não fiz. Então, te vejo no tribunal.

Folha – No dia em que Noel lançou sua primeira música, você tuitou “Dido”. Queria dizer que soava como a cantora?

Liam - Não, eu queria escrever dildo (vibrador), mas escrevi errado.

Folha – Você também disse que ele parecia um membro do Westlife…

Liam - É, eu disse isso. Ele também fala coisas sobre mim. Essas coisas são inofensivas, divertidas, sabe? Eu sinto falta disso numa banda de rock n’ roll. Ele disse coisas sobre mim antes.

Folha – O tabloide “The Sun” tem uma foto sua bebendo naquele dia em que você disse que estava com laringite.

Liam - Sim, eu estava com umas garotas. Eram 11h45 e estava com a mulher do meu amigo. As garotas estavam disponíveis a ir ao tribunal e testemunhar a meu favor. Ele dizia que a foto tinha sido tirada às 3h da manhã e que eu estava bebendo com elas. É tudo mentira. As pessoas gostam de falar mal de mim.

Folha – Mas você estava com laringite?

Liam - Sim, man, claro que estava. Não conseguia subir no palco. Minha voz estava péssima. Eu bebi um pouco e voltei para o hotel. No dia seguinte, acordei e não conseguia falar. O médico me ligou e me diagnosticou com laringite. Eu não me diagnostiquei sozinho. Então ele me aconselhou a não fazer mais shows.

Folha – Você não consegue cantar se não estiver 100%?

Liam - Você não consegue cantar se não consegue falar. Eu consigo cantar se não estiver 100%, eu já cantei de ressaca e bêbado, mas não consigo cantar se não puder falar, entende? Naquela manhã, eu não conseguia falar.

Folha – Sim, com certeza você já se apresentou de ressaca…

Liam - Sim, é isso o que as pessoas do rock n’ roll fazem.

Fonte: Folha e Oasis News

« Veja a entrevista do Red Hot Chili Peppers ao Fantástico
Foo Fighters: prêmio no VMA e novo vídeo para divulgar a turnê norte-americana »

Categorias

Entrevistas

Tags

Comentários

Nenhum comentário