Museu do Sintetizador por Pedro Pelotas

agosto 23rd, 20100 Comments »Última Atualização: agosto 23, 2010

O pianista da Cachorro Grande, Pedro Pelotas, escreveu um texto especialmente para o blog da PlayTech, sobre sua visita ao Museu do Sintetizador na UFRGS, Porto Alegre/RS. Leia abaixo.

“Estive na exposição Música, Ciência e Tecnologia no museu da UFRGS, em Porto Alegre, que segundo a divulgação é uma exposição interativa e inovadora de popularização da ciência, que tem como objetivos divulgar ciência e tecnologia aplicadas à música”. A exposição oferece sistemas de percussão eletrônica, composição interativa, instrumentos virtuais, estúdio digital, síntese modular, transformação de voz, entre outros. Havia ainda uma exposição de instrumentos eletrônicos clássicos onde os visitantes podem tocar e conhecer os recursos de criação musical, parte que mais me interessava ver.

A exposição não foca somente nos clássicos, mas em todas as gerações de sintetizadores analógicos e digitais. Há novidades como o moderníssimo Korg OASYS, que não é um mero sintetizador e sim um workstation completo, incluindo um sistema de gravação 16 pistas com queimador de CD, além dos outros diversos recursos. Teclado que pôde ser visto sendo tocado por Mick Jagger na ultima turnê dos Rolling Stones.

Korg Oasys 76 MusicWorkstation

Algumas raridades analógicas fazem a exposição realmente valer a visita, destacando o synth monofônico mais popular do mundo, o Minimoog. Os timbres desse clássico estão em discos dos Beatles, Pink Floyd, YES, Herbie Hancock, Chemical Brothers, Krafwerk e muitos outros. Outro monofônico que merece destaque é o Korg MS-20, amplamente utilizado por The Prodigy, Air e Daft Punk. Entre os polifônicos, destaque para o marcante Roland dos anos 80, Juno-106, utilizado por Fatboy Slim, Pet Shop Boys, Vangelis e Chemical Brothers.

Minimoog

Infelizmente só é possível tocar em alguns deles. O Juno, por exemplo, não funciona, assim como o possivelmente mais raro da exposição, o Eletronic Music Studios (EMS) AKS. Este sintetizador, que tem três VCOs e uma matriz de modulação para a interligação das unidades de síntese, dispõe de um sequenciador monofônico de 256 passos e um teclado de trinta notas. Ele é a base da musica “On The Run”, do Dark Side of the Moon, disco de 1973 do Pink Floyd (aquela que tinha uma turma que pulava no Dark Side).

De maneira geral, a exposição é uma bela oportunidade para quem não conhece essas ferramentas musicais. Apesar de expor programas de síntese modular virtual, não há nenhum synth analógico modular clássico, com exceção do EMS AKS, que não funciona. Mas vale muito a pena para quem nunca teve a chance de tocar num Minimoog analógico vintage, além do Theremim Moog, que é diversão garantida!

Para especificações mais completas e informações sobre synths analógicos, digitais e virtuais, recomendo o site www.vintagesynth.com.

Abraços,
Pedro Pelotas”

Maiores informações sobre o Museu do Sintetizador: www.ufrgs.br/mvs/

Fonte: PlayTech

Fique ligado e participe das nossas promoções, clicando aqui!

« Editora Madras lança dois livros sobre o Pink Floyd
Produtores do Rock Band 3 anunciam novidades »

Categorias

Geral

Tags

Comentários

Nenhum comentário


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio