Depois dos discos de vinil, fita cassete ensaia retorno

agosto 8th, 20100 Comments »Última Atualização: agosto 8, 2010

No cultuado livro Alta Fidelidade, do escritor inglês Nick Hornby, é evidente a ligação entre o protagonista Rob Gordon e suas gravações em fitas cassete. O depressivo dono de uma loja de vinis usava as seleções musicais que fazia para conquistar corações.

Após a ressurreição do vinil, pessoas com o espírito de Rob estão trazendo de volta a cultura da fita cassete. O baixo custo, a facilidade de gravação e o caráter nostálgico são as características que, segundo reportagem de August Brown, no Los Angeles Times, voltam a atrair olhares para o formato, que se propõe como alternativa acessível ao vinil e ao CD.

Segundo a auditoria SoundScan, em 2009 foram vendidos 34 mil álbuns em cassete nos EUA. O formato é muito usado na cena indie, que tem baixo recurso financeiro.

Thom Yorke, líder do Radiohead, foi um dos responsáveis pela volta do vinil, levando a banda às velhas bolachas. É, também, um apaixonado por cassetes e apontado como chave para o sucesso da volta das velhas fitas.

O caráter retrô do K7 também serve de chamariz para o público. Chris Jahnle, do selo independentes Kill/Hurt, grava músicas de suas bandas na sala de estar. “Se a qualidade em MP3 já é horrível, por que não gravar algo que soa ruim, mas que podemos segurar nas mãos?”, questiona Jahnle.

Fonte: Destak Jornal – SP

Fique ligado e participe da nossa promoção: Reduto do Rock enlouquece no mês do Cachorro Louco

« “All You Need Is Love” emociona fãs dos Beatles no Recife
Lançamentos de biografias dos Beatles e do AC/DC »

Categorias

Geral

Tags

Comentários

Nenhum comentário