Cachorro Grande fala sobre carreira, Aerosmith, Oasis e muito mais

maio 26th, 20108 Comments »Última Atualização: março 2, 2013

O Aerosmith vem aí e a Cachorro Grande vem junto no pacote! Beto Bruno, Marcelo Gross, Rodolfo Krieger, Pedro Pelotas e Gabriel Azambuja irão abrir o show a ser realizado em São Paulo, no dia 29 de maio. A banda gaúcha tem cinco álbuns de estúdio lançados e muita história pra contar! Em entrevista exclusiva ao Reduto do Rock, o guitarrista Marcelo Gross fala sobre a oportunidade de abrir o show do Aero e muito mais: a evolução técnica da banda, os lançamentos previstos, a relação com o Oasis. Curte aí!

Qual a reação ao saber que iriam abrir para o Aerosmith?

Ficamos surpresos, não esperávamos mesmo! Aerosmith é uma das maiores bandas da história e há bem pouco tempo houve aqueles rumores da separação. Então, foi uma boa notícia saber que eles voltariam aos palcos, uma ótima noticia quando soube que passariam pelo Brasil e uma excelente notícia quando soube que íamos abrir o show de São Paulo! (risos)

Inspiram-se em alguma qualidade deles?
A gente admira a longevidade deles, sempre acreditando e fazendo o velho Rock N’ Roll sujo! São exemplo de profissionalismo para todos, pois passaram por várias adversidades na carreira e estão aí, mandando ver. Não tem exemplo maior do “estar aí à toda e detonando no palco!”. E também, as músicas são excelentes!

Como acreditam que será a receptividade dos fãs que eventualmente ainda não conheçam vocês?
Abrir shows é sempre uma coisa delicada, pois não é tua banda que a galera foi assistir, mas acho que quem gosta de Rock N’ Roll vai acabar simpatizando com a Cachorro Grande. Vamos dar tudo de nós pra honrar a responsa que é abrir o show de uma banda da categoria do Aerosmith, representando o Brasil. E é claro, já estamos nervosos, mas isso na hora se transforma em adrenalina! Haja coração! Brasil!… Não pretendemos inventar muito, vamos tocar as músicas mais conhecidas da banda, dando ênfase nos rocks e sentar a cassulêta, por que ninguém vai estar ali de bobeira!

No início da carreira vocês foram considerados não comerciais. Isso soa como um elogio ou um equívoco?
Acho que nem um nem outro. Não temos receio de soar pop e, por outro lado, sempre tentamos fazer coisas diferentes e incomuns, geralmente na contramão do que rola por aí. E é aquela coisa também, fazer Rock clássico no Brasil já é ir na contramão, então sempre estivemos cientes das adversidades. Mas sempre acreditamos que, se a gente faz o que gosta, o público percebe e curte. Nosso público sempre reagiu bem e aos poucos conquistamos uma galera que acompanha e entende o que a gente faz.

Com cinco álbuns lançados, como vocês percebem a evolução da banda, quanto ao estilo e à técnica?
Ter gravado vários discos ajuda na evolução. A experiência faz com que a gente consiga traduzir o som que temos em mente com mais facilidade para a gravação no estúdio. Quanto ao estilo, assim com as bandas de que somos fãs, nós fazemos questão de lançar discos diferentes entre si. O Rock N’ Roll tem um espectro tão amplo de coisas boas, novas e antigas, para nos influenciarmos que não tem por que ficar preso a um segmento ou conceito pré-definido.

Planejam um novo álbum, novos clipes?
Provavelmente, em 2011 teremos um novo disco. Estamos começando a montar algumas canções nos ensaios. O que podem esperar? Rock N’ Roll, baby! E planejamos filmar o clipe de “A Hora do Brasil”. É uma música que todos nós adoramos e ela é muito especial, pois é a primeira composição assinada pelos cinco.

Como ocorre o processo de composição?
Não tem muita regra, acontece de diversas formas. Às vezes, unimos a demo caseira de um, a metade da música de outro que precisa ser completada… Varia bastante, ainda mais agora que os cinco compõem.

Para cada um dos integrantes: um músico que toque o mesmo instrumento e represente grande influência e motivo de admiração.
Gross – John Lennon; Beto – John lennon; Rodolfo – Paul MCcartney; Gabriel – Keith Moon e Pedro – Frank Aguiar.

Qual a relação de vocês com o Oasis, antes e depois de abrirem os shows em 2009?
Nossa relação com o Oasis foi na época dos shows, em que eles assistiram alguns nossos da beira do palco e depois conversamos um pouco. Liam foi atencioso, disse que curtiu o som da banda, nada daquela lenda de arrogante. No Gigantinho em Porto Alegre, quando abrimos o show, falamos de futebol e claro, música! Pra nós, que somos fãs, foi uma experiência única. Depois não entramos mais em contato e, lamentavelmente, a banda se desfez em seguida.

Quais as bandas com as quais vocês mais se relacionam ou tem mais afinidade?

São vários os amigos das bandas, uma lista grande de malucos! (risos)

Quais lugares ainda desejam tocar?
Claro que, como todo bom roqueiro, temos muita vontade de tocar na Inglaterra e nos Estados Unidos. Ainda vamos!

Site oficial: www.cachorrogrande.com.br
Twitter: @cachorrogrande_
MySpace: www.myspace.com/cachorrogrande

Fonte: Andressa Warken e Diego Centurione para Reduto do Rock

« Tom Hamiltom fala da atual fase do Aerosmith
Informações importantes para quem vai ao show do Aerosmith em SP »

Categorias

Entrevistas Entrevistas Reduto Exclusivo! Shows & Eventos

Tags

Comentários

8 Comments

  1. Jarlan Félix disse:

    Muito Bom!
    Cachorro Grande e´muito Rock’N Roll

  2. [...] com o show de abertura da banda Cachorro Grande (confira entrevista exclusiva ao Reduto do Rock aqui), animando a galera com seus sucessos Roda Gigante, Deixa Fudê, Lunático, Desentoa, entre outros. [...]

  3. fubeca disse:

    parabéns pela entrevista!

  4. Eu gosto d+ do som da Cachorro Grande, o ultimo disco deles ficou muito rico de detalhes, lembro quando eles estiveram aki em minha cidade Toledo-PR, não sei se os caras lembram de mim na platéia, eu mostreis os incartes para o Beto Bruno, pedindo para que após o show eles autografassem para mim, e no final do show eles cumpriram com a palavra, eu também sou compositor, ja alguns anos e me identifico muito com as composiçoes da Cachorro Grande, eles estão de parabens, merecem todo sucesso, e seria melhor ainda um album deles ainda eim 2010.

  5. [...] Cachorro Grande fala sobre carreira, Aerosmith, Oasis e muito mais [...]

  6. thaizoca disse:

    muito bom! adoro os meninos! \o

  7. [...] e com os demais rockeiros presentes. Em um papo com o guitarrista Marcelo Gross, falamos sobre a entrevista cedida ao Reduto do Rock antes da abertura para o Aerosmith e sobre a atual situação do Oasis. [...]

  8. [...] This post was mentioned on Twitter by Reduto do Rock, Patrícia Hipólito. Patrícia Hipólito said: Como não me canso de coisa boa, aqui vai a entrevista que o @redutodorock fez com a banda @cachorrogrande_ http://bit.ly/aowoPP [...]