Serguei e Pandemonium: parceria pra lá de Rock n’ Roll

abril 19th, 20104 Comments »Última Atualização: março 2, 2013


Ele é tão lembrado pelo romance com Janis Joplin quando ela passou pelo Brasil nos anos 70, quanto pelo seu estilo que une psicodelia, paz e amor. Quando jovem, foi morar nos Estados Unidos, onde gravou, entre 1966 e 1967, “Eu não volto mais”, “Maria Antonieta sem bolinhos”, “Sou psicodélico” e “As alucinações de Serguei”. Em sua temporada por lá, conta que viveu seus três dias de paz e música em Woodstock, de 15 a 17 de agosto de 1969.

De volta ao país depois de duas décadas, Serguei se estabeleceu em Saquarema, no litoral do Rio de Janeiro, onde recebe centenas de visitantes em sua casa, batizada de Templo do Rock. Há dois anos, Sérgio Augusto Bustamante (nome verdadeiro de Serguei) se uniu à banda Pandemonium, que já tem 18 anos de estrada. Eles conheceram a lenda viva do rock no Circo Voador no Rio de Janeiro e dias depois, rolou o primeiro show do Serguei com a banda Pandemonium no Espaço UP no Rio. A parceria rendeu o CD Bom Selvagem pelo selo Blues Time Records, trazendo músicas censuradas nos Estados Unidos e no Brasil durante a Ditadura, agora com novos arranjos.

Eles tocaram na comemoração dos 40 Anos da Feira Hippie de Ipanema, lançaram o CD no Programa do Jô Soares em 2009 e atualmente estão em turnê pelo Brasil com o novo álbum.

Em entrevista com Serguei: ele falou-nos sobre projetos com a Pandemonium, seu ideal de paz e amor, a tão comentada versão brasileira do Woodstock e deixou ainda uma mensagem para a geração atual do Rock.

- É possivel manter um ideal de paz e amor em tempos tão violentos e capitalistas como os de hoje?
“Eu parei no espaço e no tempo… Ainda acredito na Paz e no Amor, sem esperança não há futuro. Eu não tenho sexo nem idade, ando por aí, solto pela cidade”

- Você deve ter ficado sabendo das especulações sobre o Woodstock no Brasil. O que você acha sobre a iniciativa?
“Adorei, é uma ótima idéia! Temos que reviver tudo o que há de bom! Saquarema seria uma opção legal pelo clima interiorano, falta saber se há estrutura… Espero ser lembrado para esse evento! (risos)”

- Pretende usar aquele seu tênis enlameado usado em 69 na versão original do festival?
“Com certeza. Ele tem um furinho mas resiste mais um tempo. Assim como eu! (risos)”

- De que forma o rock n’ roll se manifesta em você?
“O Rock se manifesta sexualmente em 1° lugar… Tesão! Mas principalmente, no comportamento, na atitude”

- Qual a sua mensagem pra geração atual do rock?
“Suicide-se Porra! Brincadeira. Temos que lutar sempre pelo Rock. Se você não tem paixão, amor pelo Rock , ele morre, você morre… Hoje uma pessoa aos 30 anos é tida como velha, coroa, imprestável. Puxa, isso é um absurdo, bicho! O TEMPO NÃO PARA, já dizia o poeta! O rock está em nossa alma, em nosso coração e no corpo inteiro… Fico muito feliz quando vejo a paixão nos olhos das novas gerações”

- Quais os projetos com a banda Pandemonium?
“É a melhor banda com a qual já toquei, não digo só na questão musical. Eles são super responsáveis, me respeitam como músico e como pessoa. Somos irmãos e amigos. Enquanto eles me “suportarem” estamos aí!”

- Da cena rock nacional, quais suas preferências?
“Rita Lee, Erasmo, Capital Inicial, Leela, entre outras. Existem muitas bandas ótimas hoje.” O baterista Alex revela que Serguei foi escutando Charlie Brown em uma das idas pra São Paulo e curtiu muito a banda.

Site oficial: www.bandapandemonium.com

« Inicia 2ª temporada do Geléia do Rock no Multishow
Stones exibem documentário em Cannes e lançam single em versão limitada »

Categorias

Entrevistas Entrevistas Reduto Exclusivo! Geral

Tags

Comentários

4 Comments

  1. Alex "Anjo" disse:

    Ficou ótima a matéria, parabéns , e um abraço para todos do Reduto do Rock em nome de toda a Banda Pandemonium e do Serguei… Abraço !

  2. Muito legal a matéria.
    Desejo sorte a eles e que se divirtam muito fazendo rock!!!

  3. amei a entrevista!serguei é mara…

  4. Diego Daniel disse:

    Eu Amo Essa Banda Pandemonium e o Da Esquerda E Meu Professor De Historia Um Abraço Prof.Alex


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio