40 anos desde o fim dos Beatles

abril 10th, 20100 Comments »Última Atualização: abril 10, 2010


Há 40 anos, no dia 10 de abril de 1970, Paul McCartney anunciou seu desligamento dos Beatles. O  comunicado coincidiu com a distribuição para a imprensa de cópias de seu primeiro disco solo, “McCartney”.

Mesmo com o fim, sabemos que eles permanecem cada vez mais fortes e influentes, quando o assunto é Rock. Isso porque eles surgiram não só como uma banda, mas como uma expressão da ideologia juvenil pós segunda guerra. Para explicar um pouco dessa singularidade que só eles alcançaram, leia abaixo um trecho da última biografia dos Beatles, Can’t Buy me love de Jonathan Gould.

“Desde o começo, diversos atributos diferenciaram os Beatles de qualquer coisa que acontecera na música antes deles. Em primeiro lugar, sua nacionalidade. Desde que fora cunhado nos anos 1920, o conceito de superstar tornou-se sinônimo da cultura americana das celebridades, em rápido desenvolvimento, que colonizara o mundo com as mitologias da Broadway, da Tin Pan Alley (área de Nova York em que se concentravam as editoras musicais até a década de 1950) e de Hollywood.

Em 1964, os Beatles eram os primeiros artistas claramente não americanos com exposição na mídia de massas a conquistar a condição de superstar em caráter mundial (ao contrário, por exemplo, Charlie  Chaplin, que viveu em Hollywood e levou às telas um personagem eminentemente americano).

Pontas de lança da “Invasão Britânica” na cena musical americana, os Beatles representaram um desafio sem precedentes à hegemonia exercida mundialmente pelos EUA no cenário do entretenimento popular desde que os ritmos sincopados do ragtime caíram nas graças dos europeus pouco antes do início da Primeira Guerra Mundial. Ao desafiar o domínio americano do mundo pop, os Beatles tiveram, êxito também em negar todos os estereótipos do que significava ser inglês em 1964 – estereótipos que, até o recente desmonte do duradouro império colonial britânico, exerceram não apenas influência como também uma forma direta de autoridade política e cultural sobre uma quarto da população mundial.

Desde o começo, a atitude deles, o brilho em seus olhos, indicava que eles estavam ironicamente dissociados da grandeza do passado britânico, observou o escritor Jan Morris. Jovialidade, estilo, despretensão e irreverência – essas não eram qualidades que o mundo se acostumara a esperar dos familiares e outrora intimidantes ingleses no exterior… Quando estouraram, os Beatles personificaram uma versão iconoclasta da sua identidade nacional que se provou tão atrativa para as juventudes norte-americana, européia, australiana e de partes da Ásia, quanto para os fãs britânicos”

Este é um trecho do prólogo do livro. Comprem que vale a pena. O livro dá uma perspectiva da banda em seu contexto social e histórico, que faz compreender os motivos da explosão da banda e da influência dela até os dias de hoje.

Veja galeria de fotos dos Beatles!

Fonte: Reduto do Rock

« Bon Jovi ao vivo pela internet neste domingo 11/04
Exposição em Londres mostra fotos raras do Rolling Stones »

Categorias

Geral Opinião

Tags

Comentários

Nenhum comentário