Kiss: Sexo, drogas e rock n' roll é para manés

janeiro 12th, 20101 Comment »Última Atualização: janeiro 12, 2010

O Kiss não adere à máxima “Sexo, drogas e rock n’ roll” comumente usada, pois ela glorifica o uso de drogas, um dos problemas que separou o quarteto original em 2000.

O baixista Gene Simmons afirmou “Sexo, drogas e rock ‘n’ roll, que frase de mané! Porque não é apenas sexo e rock n’ roll? Como é que drogas se tornaram maneiras?”

“Você não consegue vencer uma maratona doidão, não tem como. Então não comece.”

Gene e o vocalista/guitarrista Paul Stanley são os únicos membros originais remanescentes na banda, que teve seu auge nos anos 70.

O baterista Peter Criss e o guitarrista Ace Frehley se juntaram ao grupo para uma reunião em 1996, mas Gene e Paul perceberam que eles ainda sofriam com os problemas que causaram a separação do Kiss nos anos 80.

Paul disse: “Havia magia nas pessoas verem a formação original, mas o que ocorreu foi uma queda ladeira abaixo”. E Gene acrescentou ao jornal The Sun: “Se você analisar de forma objetiva, tudo passou rapidamente. Toda a babaquice pela qual passamos com as drogas e bebidas e falta de auto-estima que Ace e Peter tinham sugava nossas energias. Foi uma pedra no meu sapato durante muito tempo”.

« Snow Patrol: Gary anuncia projetos solo
Richard Ashcroft tem nova banda »

Categorias

Opinião

Tags

Comentários

1 Comment

  1. Destroyer disse:

    Poise, nunca gostei de Kiss mesmo.
    Agora com essa declaração os caras perderam a moral comigo.


Festivais no Brasil

    Nenhum data presente

Apoio